CAFÉ E SUSTENTABILIDADE

Preocupação com futuras gerações

Cafés Sustentáveis

Consumo consciente

A cada dia que passa, o conceito de sustentabilidade se fortalece, não só no Brasil como em grande parte do mundo, cada vez mais preocupados em criar e promover práticas sustentáveis e o consumo consciente. Existem diversas definições, de fato sustentabilidade, mas a mais simples e direta delas é: ”atender às necessidades atuais sem comprometer as gerações futuras.”

Dessa maneira, no que se diz respeito ao café e à sua produção, existem aspectos sociais, ambientais e econômicos que devem ser levados em consideração. Cafés sustentáveis podem alcançar preços mais elevados e remunerar melhor os produtores e toda cadeia, diferenciados por seu valor e qualidade.

Entre os países produtores de café, o Brasil é o que se encontra em relevante posição quanto ao conceito de sustentabilidade, apresentando normas que abrangem o uso correto e seguro de produtos fitossanitários, proibição do emprego de trabalho infantil, segurança e direitos do trabalhador, reciclagem de embalagens de produtos químicos, uso correto de água para irrigação e limites para desmatamento.

Exigências

Sociais, Ambientais e Econômicas

Sociais

Não deve existir qualquer tipo de trabalho infantil na propriedade. O produtor deve registrar seus trabalhadores de acordo com as normas e cumprir todas as leis trabalhistas.

O produtor deve garantir a segurança do trabalhador e de subcontratados com a utilização de equipamentos de proteção individual.

Os trabalhadores devem ter direito à moradia digna, transporte, local adequado para as refeições, condições sanitárias e capacitação e treinamentos contínuos.

O produtor deve ter preocupação com a educação dos funcionários e de seus filhos.

Ambientais

A propriedade deve usar somente agrotóxicos registrados para a cultura de café.

Os fertilizantes orgânicos e químicos devem ser adequadamente armazenados para evitar contaminação de recursos hídricos.

Os mananciais de água devem ser protegidos e preservados.

O desmatamento de flora nativa deve ser minimizado, conservando-se plantas e animais silvestres e espécies ameaçadas de extinção.

Deve existir um sistema seguro de manejo de resíduos.

Econômicas

Os aspectos sociais e ambientais dependem diretamente da situação econômica da atividade.

Por isso, a renda do setor cafeeiro deve ser observada como questão principal para que seja possível a implementação, manutenção e evolução de um programa de sustentabilidade na cafeicultura.

Remunerar melhor os produtores e toda cadeia, pela diferenciação dos cafés, por seu valor e qualidade.

Permitir o re-investimento no setor e toda cadeia produtiva e garantir o desenvolvimento das famílias.

Cooperativas e Associações

União que fortalece

As cooperativas agrícolas servem para conseguir escoar, da melhor maneira possível, a produção agropecuária. Um produtor de café, por exemplo, pode vender toda a sua produção para uma cooperativa de produtores de café, sem se preocupar em procurar compradores e de fixar preços para seus produtos. Os preços de compra praticados pelas cooperativas costumam ser justos. Além de outras vantagens como:

Vantagens

Para toda a cadeia produtiva

Assessoria técnica

Há assessoria técnica por uma equipe de técnicos, especialistas, veterinários e agrônomos, para dar todo o suporte aos produtores, garantindo maiores e melhores produções.

Prestação de serviços

Existe prestação de serviços para o produtor, como a seleção, classificação e o beneficiamento de café, pasteurização de leite, embalagem e armazenamento de produtos.

Garantias trabalhistas

A cooperativa traz garantias à relação entre trabalhadores e proprietários rurais, remuneração condizente com a realidade do mercado de trabalho, benefícios, apoio como assistência médica e educacional.

Reconhecida mundialmente como uma das mais ativas entidades do setor cafeeiro, a Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC, entidade criada em 1973 e que desenvolve um trabalho que integra indústrias, varejo, pontos de consumo. Realiza inúmeros programas e certificações visando sempre a promoção do consumo interno de café a partir da melhoria da qualidade e da agregação de valor à bebida.

Entre algumas atribuições da entidade estão:

Garantir nível e consistência de Qualidade dos produtos  através dos programas de certificação.

Incentivar  continuamente o desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços com foco na cadeia produtiva.

Desenvolver a sustentabilidade econômica, ambiental e social das empresas e produtores rurais.